:: Programa de Pós-graduação em Saúde, Ambiente e Trabalho ::

Voltar para página anterior Aumentar o tamanho do texto Diminuir o tamanho do texto Fale Conosco Voltar para a Entrada Imprimir página atual

 

Planejamento e Gestão em Saúde, Ambiente e Trabalho - ementa

Vagas: 20 alunos

EMENTA
A emergência e estruturação institucional das políticas de saúde no Brasil que culminaram na constituição do SUS e SISNAMA em nossos dias, discutindo seus princípios organizativos; o desenvolvimento histórico da temática ambiental e ocupacional dentro da Saúde Pública, particularmente a brasileira, apresentando os vários paradigmas que vem conformando as abordagens sobre saúde, ambiente e trabalho, desde a microbiologia, monitoramento ambiental, as questões de saneamento ambiental, até as recentes influências da medicina social e questões ambientais contemporâneas, como os riscos globais; as atuais estruturas dos sistemas ambiental (SISNAMA) e de saúde (SUS e Vigilância Ambiental), que conformam o marco institucional no País, nos níveis federal, estadual e municipal e nas esferas pública e privada; organização jurídico-institucional do campo da Saúde do Trabalhador. Análise de risco; EIA/RIMA; Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO); Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e outros programas similares; Monitoramento ambiental, bases teóricas e metodológicas; o Princípio da Precaução; o desenvolvimento sustentável; políticas de prevenção e instrumentos disponíveis; os instrumentos de planejamento e gestão ambiental: EIA/RIMA, Licenciamento/Zoneamento Ambiental, padrões ambientais; análises de risco.
Objetivos:
A disciplina Planejamento, Gestão Ambiental e Ocupacional tem como objetivo introduzir o aluno na discussão de bases conceituais e metodológicas para a análise e gerenciamento de riscos ambientais e ocupacionais, dentro de uma perspectiva inter e transdisciplinar, entendendo o processo de aprendizagem como reforço construtivo pessoal do aluno e valorização de uma ambiência humana.
Metodologia
O curso será desenvolvido em atividades teóricas, em sala de aula, com exposição dos professores e convidados. Os temas de cada aula abordarão questões relevantes relacionadas ao Planejamento e Gestão Ambiental e Ocupacional. O conhecimento técnico-acadêmico trabalhado durante a aula será confrontado com as respectivas visões sobre o tema do professor, de convidados e dos alunos.
A avaliação do curso será realizada por meio da entrega de um texto técnico-científico com no mínimo 15 páginas, sobre um tema relacionado ao planejamento e gestão ambiental em saúde, ambiente e trabalho (peso 7), por meio de  textos sucintos solicitados por cada professor (peso 3), bem como serão consideradas a frequência e participação do aluno nas aulas.

Bibliografia:
ACSELRAD, Henri. Discursos da sustentabilidade urbana. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, São Paulo, n. 1, 1999.
AGENDA 21 BRASILEIRA - AÇÕES PRIORITÁRIAS. Brasília: Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 21 Nacional (Decreto de 26 de fevereiro de 1997), 2002.
ALVA, Eduardo Neira. Qualidade Ambiental Urbana. Salvador: MAU/UFBA, 1994. Não publicado.
ANUÁRIO BRASILEIRO DE PROTEÇÃO. Revista Proteção, Novo Hamburgo. Edição Especial, 2004.
AUGUSTO, Lia Giraldo da Silva; CARNEIRO, Rosa Maria; MARTINS, Paulo Henrique (org.). Abordagem Ecossistêmica em Saúde: Ensaios para o controle de dengue. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2005.
BAHIA. Assembléia Legislativa. Lei Estadual 10.431, de 20 de dezembro de 2006. Dispõe sobre a Política Estadual de Meio Ambiente e de Proteção da Biodiversidade. Salvador, D.O.E. 21/12/06.
BERLINGUER, Giovanni. Globalização e saúde global. Estudos Avançados, São Paulo, v.13, n.35, p. 21-38, jan./abr. 1999.
BONALUME, Wilson Luiz. Desenvolvimento Insustentável: Imprecisão e Ambigüidade nas Ciências Ambientais. São Paulo: WLB, 2005.
BORJA, Patrícia Campos. O Conceito de Sustentabilidade em Sistemas de Saneamento: Controvérsias e Ambigüidades. In: SIMPÓSIO LUSO-BRASILEIRO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL, X., 2002, Braga. Anais... Braga-Portugal: APESB, 2002. 1 CD-ROM. 15p.
_______. Avaliação da Qualidade Ambiental Urbana. Uma contribuição metodológica. 1997. 280f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal da Bahia, Salvador.
BRASIL. Congresso Nacional. Lei 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional de Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Brasília, D.O.U. de 01/09/81.  
BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE – CONAMA. Resoluções CONAMA 1984 a 1991. 4.ed. ver. e ampl. Brasília: IBAMA, 1992.
BRASIL. Presidência da República.  Comissão Interministerial para a Preparação da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento CIMA. Relatório do Brasil para a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento. O desafio do desenvolvimento sustentável.  1991.
BRASIL, Ministério da Saúde. Doenças Relacionadas ao Trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Brasília: Editora MS, 2001.
BRAVERMAN, H. O Trabalho e o Capital Monopolista: a degradação do trabalho no século XX. 3. ed. São Paulo: Ed. Zahar, 1980.
BRILHANTE, Ogenis Magno; CALDAS, Luiz Querino de A (Coord.). Gestão e avaliação de risco em saúde ambiental. Rio de Janeiro: Ed. FIOCRUZ, 1999.
BURSZTYN, Marcel. Estado e Meio Ambiente no Brasil. In: BURSZTYN, Marcel (org.). Para Pensar  o Desenvolvimento Sustentável. São Paulo : Brasiliense, 1993.
BUSTAMANTE, M. I. ; TORRES, S. Elementos para una política ambiental eficaz. Revista de la CEPAL, Santiago de Chile, n. 41, p. 109-122, ago. 1990.
CARNEIRO, Eder Jurandir. Política Ambiental e Desenvolvimento Sustentável. In: A insustentável leveza da política ambiental: Desenvolvimento e conflitos socioambientais. ZHOURI, Andréa;
LASCHESFI, Klemens; PEREIRA, Doralice Barros (orgs). Belo Horizonte: Autêntica, 2005. p. 27-47.
CARVALHO, Sérgio Resende. Saúde coletiva e Promoção da Saúde: sujeito e mudança. 2.ed. São Paulo: Hucitec, 2007.
CASTELLS, Manuel. A Questão Urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.
CIDADE, Lúcia C. A questão ambiental urbana: perspectivas de análise. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 1995, Brasília. Anais ...Brasília: ANPUR, 1996.
COMUNE, Antônio E.; CAHPINO, Antônio C. C.; RIZZIERI, Juarez A. B. Indicadores  de  Qualidade de Vida. In: LONGO, Carlos Alberto; RIZZIERI, Juarez, A. B. (Org.). Economia urbana: custos de urbanização e finanças  públicas.  São Paulo:IPE/USP, 1982. p.81-115.
FERREIRA, Leila da Costa. Idéias para uma sociologia da questão ambiental no Brasil. São Paulo: Annablume, 2006.
FORATTINI, Osvaldo P. Qualidade de Vida e Meio Urbano. A cidade de São Paulo, Brasil. Revista Saúde Pública, São Paulo, v.25, n.2, p.75-86, 1991.
GRAZIA, Grazia de (org.). Direito à Cidade e Meio Ambiente. Rio de Janeiro: Fórum Brasileiro de Reforma Urbana, 1993.
GUIMARÃES, Roberto P. Ecopolítica em áreas urbanas: a dimensão política dos indicadores de qualidade ambiental. Rio de Janeiro: Zahar, 1987 (Debates Urbanos, 7).
HAUGHTON, Graham; HUNTER, Colin. Sustainable Cities. London: Jessica Kingsley Publishers Ltd., 1996.   (Regional Policy & Development Series; Vol.7)
HERCULANO, Selene; PORTO, Marcelo Firpo de Souza; FREITAS, Carlos Machado de (org.). Qualidade de vida & riscos ambientais. Niterói, RJ: EdUFF, 2000.
LAURELL, A.C.; NORIEGA, M. Processo de produção de saúde: trabalho e desgaste operário. Tradução de Chon, A. São Paulo: Hucitec. 1989.
LEAL, Maria do Carmo; SABROZA, Paulo Chagastelles; RODRIGUEZ, Rodolfo Hector; BUSS, Paulo Marchiori (org.). Saúde, Ambiente e Desenvolvimento. v.I e v. II. Rio de Janeiro-S. Paulo: Hucitec-Abrasco, 1992.
LEE, W R. The Occupation history. In Hunter’s; Diseases of Occupations. Londres:  P.A.B.RAFLE, P.H.ADAMS, PETER J. BAXTER E W.R.LEE (Org.) Edward Arnold Editions, 1994, p. 3-4.
LEFEVRE, Fernando; LEFEVRE, Ana Maria Cavalcanti. Promoção de Saúde: a negação da negação. Rio de Janeiro: Vieira & Lent, 2004.
LITTLE, Paul E. (org.). Políticas ambientais no Brasil: análises, instrumentos e experiências. São Paulo: Peirópolis; Brasília, DF: IIEB, 2003.
MAGRINI, Alessandra. Política e Gestão Ambiental: conceitos e instrumentos. Revista Brasileira de Energia. Rio de Janeiro: SBPE – Sociedade Brasileira de Planejamento Energético, v.8, n.2, 1º sem. 2001.
MELA, Alfredo; BELLONI, Maria Carmen; DAVICO, Luca. A sociologia do ambiente. Lisboa: Editorial Estampa, 2001.
MENDES, R. Conceito de patologia do trabalho. In: Mendes, R. (Org.). Patologia do Trabalho. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2005, p. 48-92.
MINAYO, Maria Cecília de Souza; MIRANDA, Ary Carvalho de. Saúde e Ambiente Sustentável: estreitando nós. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2002.
MINAYO-GOMEZ, C.; LACAZ, F.A. de C. Saúde do trabalhador: novas e velhas questões. Ciência & Saúde Coletiva, v.10, n.4, p.797-806, 2005.
MOTA, Suetônio.  Urbanização e Meio Ambiente.  Rio de Janeiro: ABES, 1999.
Nosso Futuro Comum. Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1988.
NUNES, E. D. A categoria trabalho na medicina. In: NUNES, E.D. (Org.) Pensamento social em saúde na América Latina. Rio de Janeiro. Ed. Cortez - ABRASCO, 1989, p 100-124.  
PAPINI, Solange. Vigilância em Saúde Ambiental: uma nova área da Ecologia. São Paulo: Atheneu Editora, 2009.
PERLOFF, Harvey S. (ed.). La calidad del medio ambiente urbano. 1.ed. Barcelona: Oikos-ton-ediciones, 1973.
PHILIPPI JR., Arlindo (Editor). Saneamento, Saúde e Ambiente. Fundamentos para um desenvolvimento sustentável. Barueri, SP: Manole, 2005.  (Coleção Ambiental; 2)
PNUMA – PROGRAMA das NACÇÕES UNIDAS para o MEIO AMBIENTE /MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE/ Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA. Geo Brasil 2002: Perspectivas do meio ambiente no Brasil. Brasília: IBAMA, 2002.
Revista PÓLIS. Ambiente Urbano e Qualidade de Vida. São Paulo: Publicações PÓLIS, n.3, 1991.
RODRIGUES, Arlete Moysés. O meio ambiente urbano: algumas proposições metodológicas sobre a problemática ambiental. In: SILVA, José B.; COSTA, Maria Clelia L.; DANTAS, Eutógio W. C. (Org.). A Cidade e o urbano: temas para debate. Fortaleza: EUFC, 1997. p.139-152.
Rumo a um desenvolvimento sustentável: indicadores ambientais. Tradução Ana Maria S. F. Teles. Salvador: Centro de Recursos Ambientais, 2002.
SILVA, Antônio Nelson Rodrigues; SOUZA, Lea Cristina Lucas de; MENDES, José Fernando Gomes (Editores). Planejamento Urbano, Regional, Integrado e Sustentável. Desenvolvimentos recentes no Brasil e em Portugal. São Carlos, SP: EESC/USP, 2005.
ROSEN, G. Uma história da saúde pública. Tradução Moreira, M. F. S. São Paulo: UNESP, 1994.
TEIXEIRA, Elenaldo. O Local e o Global. Limites e desafios da participação cidadã. 2.ed. São Paulo: Cortez; Recife: Equip; Salvador: UFBA, 2001.

Professor(a): Severino Agra Filho, Paulo Pena

 


© 2014 SAT

Faculdade de Medicina da Bahia - Largo do Terreiro de Jesus, s/n - Centro Histórico, Salvador, Bahia 40.026-010
Telefone Tel: +55 (71) 3283.5573 - 8873.7412(Oi) - 9305.8288(Tim) - 9916-6825(Vivo) - Feedback Formulário de Contato
Lista de Telefones e E-mails - Como Chegar

Administração